Bem-vindo ao blogue do Centro de Língua Portuguesa do Camões, IP na Universidade da Extremadura /Cáceres

Bienvenido al blog del Centro de Lengua Portuguesa del Camões, IP en la Universidad de Extremadura /Cáceres




16/02/17

Prémio Fernão Mendes Pinto 2017






A Associação das Universidades de Língua Portuguesa (AULP) anuncia a abertura de candidaturas, até 31 de julho de 2017, ao Prémio Fernão Mendes Pinto 2017.

Este prémio, atribuído anualmente pela AULP, tem como objetivo galardoar uma dissertação de mestrado ou de doutoramento que contribua para a aproximação das Comunidades de Língua Portuguesa, explicitando relações entre comunidades de, pelo menos, dois países.

O valor do Prémio Fernão Mendes Pinto é de 8.000€ (oito mil euros) a atribuir numa parceria conjunta entre a AULP e a CPLP ao autor premiado e cuja publicação será da responsabilidade do Camões-Instituto da Cooperação e da Língua, I.P.





Os trabalhos serão agrupados nas seguintes secções: Letras e Artes /  Ciências Exatas / Ciências da Saúde e da Vida / Ciências Sociais e Humanas.

Só se poderão candidatar ao PFMP2017 as instituições membros da AULP que tenham as quotas em dia.

Regulamento

15/02/17

Maratona de leitura. Rubrica "Falando"







A Maratona de Leitura este ano assume um formato diferente.
Tudo acontece em linha!
Foi criada a rubrica "Falando" no blogue da Maratona, com o objetivo de partilhar as vossas impressões sobre a Maratona.

Contamos com o vosso comentário!






Novidades no CLP/C

Chegaram ao CLP/C duas novas obras, Que importa a fúria do Mar de Ana Margarida de Carvalho e Até que o amor me mate de Maria João Lopo de Carvalho. 


Frente a frente, duas gerações de um Portugal onde, às vezes, parece que pouco mudou…

Numa madrugada de 1934, um maço de cartas é lançado de um comboio em andamento por um homem que deixou uma história de amor interrompida e leva uma estilha cravada no coração. Na carruagem, além de Joaquim, viajam os revoltosos do golpe da Marinha Grande, feitos prisioneiros pela Polícia de Salazar, que cumprem a primeira etapa de uma viagem com destino a Cabo Verde, onde inaugurarão o campo de concentração do Tarrafal.

Dessas cartas e da mulher a quem se dirigiam ouvirá falar muitos anos mais tarde Eugénia, a jornalista encarregada de entrevistar um dos últimos sobreviventes desse inferno africano e cuja vida, depois do primeiro encontro com Joaquim, nunca mais será a mesma.



Separados pelo tempo, pelo espaço, pelos continentes, pela malária e pelo arame farpado, os destinos de Joaquim e Eugénia tocar-se-ão, apesar de tudo, no pelo de um gato sem nome que ambos afagam e na estranha cumplicidade com que partilham memórias insólitas, infâncias sombrias e amores decididamente impossíveis.


São sete as mulheres que aqui cruzam a vida de Luís Vaz de Camões. Sete as mulheres que mais o amaram ao longo dos seus 55 anos de vida. Esta é a história do homem, do poeta, do soldado, do marinheiro. Uma história de conquistas e esperas, de amores e desamores, de tempos de ventura e desventura, de ódios e paixões; uma história contada no feminino a sete vozes que, vindas de longe e atravessando terras e mares, encontram porto de abrigo na intimidade dos nossos corações. 

Esta é a história de um homem que em palavras, versos, estrofes consegue viajar no tempo para nos trazer a história singular de um mundo maior e de um amor maior. Uma história imortal que 500 anos depois continua viva, nova, próxima e presente.

30/01/17

Newsletter Camões

O Camões, I.P. lançou a “Camões em Notícias” com o principal propósito de estreitar e reforçar a relação com o seu público, pela divulgação dos três pilares da sua ação: Cooperação, Língua e Cultura.
 
Assim, é com muito gosto que lhe damos a conhecer a primeira edição desta publicação mensal, cuja linha editorial reflete os principais destaques e novidades do Instituto, bem como os principais serviços, notícias e eventos. 


Para poder passar a receber a publicação “Camões em Notícias”, e caso seja do seu interesse, poderá fazer a inscrição no Portal do Camões, I.P. em: http://www.instituto-camoes.pt/sobre/comunicacao/newsletter.  

26/01/17

XIII Maratona de Leitura em Língua Portuguesa




O CLP/C na Universidade da Extremadura em Cáceres informa que no próximo dia 25 de abril de 2017, irá decorrer mais uma edição da Maratona de Leitura em Língua Portuguesa, com a organização do Instituto Municipal da Juventude, do Ayuntamiento de Cáceres, e do CLP/C na UEx.


A XIII edição da Maratona de Leitura em Língua Portuguesa vai ter um novo formato e vai recorrer às novas tecnologias para promover a leitura.


Os alunos de português vão efetuar gravações de vídeos com as suas leituras.
No entanto, como a participação na Maratona sempre foi aberta a todos aqueles que sabem português, independentemente de frequentarem um estabelecimento de ensino ou não, todos aqueles que desejarem participar neste evento, e que não estão associados a nenhum estabelecimento de ensino, devem contactar com o CLP/C.

As propostas de leitura (disponíveis no blogue) desta edição estão relacionadas com a revista Portugal Futurista, que saiu em novembro de 1917 e foi apreendida após o lançamento.

A organização apresenta uma outra proposta este ano: a Troca de Livros. Existem diferentes pontos de recolha na cidade para deixar livros em português, que serão posteriromente entregues aos participantes da Maratona.

Foi nesta revista que foram publicados o Ultimatum Futurista às Gerações Portuguesas do Século XX de Almada-Negreiros e o Ultimatum de Álvaro de Campos; os textos de Almada, Mima Fatáxa e Saltimbancos, os poemas de Fernando Pessoa, Episódios e Ficções de Interlúdio, e Três Poemas, de Mário de Sá-Carneiro.


Contamos com a sua participação!

Todas as informações estão disponíveis no blogue da Maratona

25/01/17

Congresso Internacional Fernando Pessoa


 

A Casa Fernando Pessoa está a organizar a 4.ª edição do Congresso Internacional Fernando Pessoa 2017, que terá lugar no auditório 2 da Fundação Calouste Gulbenkian, nos dias 9, 10 e 11 de Fevereiro.
Trata-se de um programa fundamental para a Casa Fernando Pessoa que tem como uma das suas linhas programáticas-base o apoio à investigação e divulgação do conhecimento científico.

Durante três dias, especialistas e doutorandos vão apresentar comunicações inéditas, lançar questões e responder a dúvidas do público presente.



Mais de 40 investigadores da obra de Fernando Pessoa vão participar na edição deste ano do Congresso Internacional Fernando Pessoa.

O Congresso Internacional Fernando Pessoa 2017 pretende ser um momento de encontro entre especialistas pessoanos de vários países e um estímulo para o avanço da investigação sobre Pessoa.



Para mais informações:
congresso-internacional-fernando-pessoa

24/01/17

A vida num sopro

A vida num sopro

Aqui deixamos a opinião da nossa usuária
Lourdes Correia Martinho.


Obrigado, Lourdes Martinho!



Adorei este romance, a meu ver está tão bem escrito que nos envolve rapidamente na difícil história de amor de Amélia e Luís e mantém-nos presos até ao fim.  De fácil leitura, ajuda-nos a conhecer melhor a história de Portugal na época de Salazar e da Guerra Civil de Espanha.


23/01/17

Cursos a distância do Centro Virtual Camões. Abertura do período de candidaturas do 2.º semestre 2016/2017








O Camões, I.P. disponibiliza uma oferta na área de ensino a distância em diferentes áreas do saber, com recurso à utilização de uma plataforma tecnológica em contexto web, possibilitando a aprendizagem da língua portuguesa em qualquer parte do mundo.

Até ao próximo dia 8 de fevereiro, estão abertas as candidaturas aos cursos de ensino a distância em várias áreas do saber:

Português para estrangeiros:
Português para fins específicos
Formação Contínua de Professores
 Cursos de especialização
Cooperação para o desenvolvimento

 Para mais informação e inscrição:
http://www.instituto-camoes.pt/activity/centro-virtual/inscricoes

Cinemateca edita um livro sobre Alberto Seixas Santos


Alberto Seixas Santos foi um cineasta português e um dos aderentes ao movimento do Novo Cinema português. Alberto, que morreu no passado dia 10 de dezembro, foi homenageado no dia 19 com a apresentação de um livro intitulado Alberto Seixas Santos  que consta de uma biografia e textos sobre os filmes do cineasta, com contribuições de João Bénard da Costa e João Lopes, entre outros, e a reprodução de uma longa entrevista ao diretor. 



Além disso a obra também inclui a transcrição editada das apresentações que Alberto Seixas Santos fez de filmes de Jean-Marie Straub e Danièle Huillet na rubrica Histórias do Cinema. 
Na sessão de apresentação do livro foi projetada a longa-metragem Gestos & Fragmentos uma produção do diretor na qual se fala sobre a revolução portuguesa. 

A África Brasileira no cinema


No passado dia 15 houve em Lisboa um ciclo cinematográfico na Cinemateca e na Casa Independente - A Experiência Afro-Brasileira - no qual foram exibidos filmes brasileiros que tratam de cultura e experiências africanas. 
No total foram exibidos 25 filmes entre longas e curtas metragens, tanto obras ficionais como documentárias. 
Este ciclo supôs o final do programa de cinema queer africano e afro-descendente que o projeto Africa.Cont iniciou há dois anos.
Alguns dos filmes exibidos foram Abolição, documentário de Zózimo Bulbul no qual vários brasileiros negros falam sobre a abolição da escravatura no Brasil ou Odô Yá! Life With AIDS, documentário de Tânia Cypriano que explora a história das campanhas de luta contra a Sida no Brasil. 

Para mais informações visite: http://www.africacont.org/ 

11/01/17

Escritora Teolinda Gersão conquista Prémio Literário Vergílio Ferreira 2017


  A escritora Teolinda Gersão conquistou no dia 21 de dezembro de 2016 o Prémio Literário Vergílio Ferreira 2017, atribuído anualmente pela Universidade de Évora (UÉ). Este prémio conta com o apoio do Camões, I.P.

  A vencedora da 21.ª edição do galardão foi escolhida, durante uma reunião do júri do prémio, presidido por António Sáez Delgado e que, este ano, integrou Pedro Ferré, Mário Avelar, Gustavo Rubim e Elisa Esteves.

  Instituído pela Universidade de Évora em 1997, o Prémio Vergílio Ferreira destina-se a galardoar, anualmente, o conjunto da obra literária de um autor de língua portuguesa relevante no âmbito da narrativa e/ou ensaio.

  O júri decidiu atribuir o prémio a Teolinda Gersão pela "alta qualidade da arte narrativa expressa nos vários géneros de ficção clássica, em particular o romance e o conto".
  O seu percurso, segundo o júri, "adquire especial relevo pela independência da escritora relativamente a todas as modas ou tendências que, de alguma forma, condicionam os caminhos da literatura contemporânea".

  A cerimónia de entrega do Prémio Literário realiza-se no dia de 01 março de 2017, na Universidade de Évora, data em que se assinala a morte do escritor Vergílio Ferreira.
Natural de Coimbra, Teolinda Gersão, de 76 anos, estudou germanística, romanística e anglística nas universidades de Coimbra, Tubingen e Berlim.

  A escritora foi Leitora de Português na Universidade Técnica de Berlim, assistente na Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa e professora catedrática da Universidade Nova de Lisboa, onde lecionou Literatura Alemã e Literatura Comparada.
Segundo a UÉ, esta edição do prémio foi a que teve mais candidaturas desde que foi criado, tendo sido apresentadas por instituições de Portugal, Espanha, Itália, EUA e Colômbia.

Na nossa biblioteca pode encontrar duas das obras da escritora. 
 
- O Mensageiro e Outras Histórias com Anjos
- Prantos, amores e outros desvarios

09/01/17

NATAL, A TRADIÇÃO À MESA


Portugal é um país recheado de tradição gastronomica o que naturalmente se reflete, ainda mais em alturas de festa, nas mesas de todas as famílias.
De Norte a Sul, dando um saltinho às ilhas, há uma grande diversidade nas mesas de Natal.


Na zona do Minho e Alto Douro, a tradição diz que no dia 24 de dezembro se jante bacalhau e polvo cozidos, acompanhados com couves e batatas. Depois da Missa do Galo é hora de cear peru assado. No dia 25, as famílias juntam-se para almoçar roupa-velha, feita com os excedentes de bacalhau e batatas.






Em Trás-os-Montes, o menú tradicional é um pouco mais complexo, e há opções para todos os gostos. No dia 24 serve-se bacalhau e/ou polvo, cozido com couves batata e raba ou assado na brasa com batata a murro. A sobremesa natalícia por excelencia são as filhós feitas de abóbora, mas os sonhos e as rabanadas não podem faltar. No dia 25, come-se leitão, cabrito, borrego a acompanhar a roupa-velha (bacalhau, polvo, batata, couve e raba). Tudo depende dos gostos de cada um.



Na Beira-Alta, tradicionalmente, o bacalhau é cozido em partes iguais de água e azeite, e é servido com couves. De sobremesa comem-se filhós do joelho, sonhos, rabanadas e bolo torto. O dia 25 é dedicado ao cabrito, quer seja assado em forno a lenha, quer seja de caldeirada.


                                                                           Na Beira-Baixa e Estremadura, a tradição é simples e similar. No dia 24 há bacalhau cozido com couves, seguido das doces filhós. Para o almoço do dia de Natal prepara-se a roupa-velha e assa-se cabrito, ou o peru no forno.




No Alentejo, podemos dizer que a tradição já não é o que era, uma vez que antigamente, na consoada, se comia galo estufado e nos dias de hoje come-se o básico bacalhau com couves. No entanto, no dia de Natal faz-se um autêntico banquete de peru recheado, com carnes e enchidos da zona. Para o final da refeição guardam-se os carolos (pequenas bolinhas de massa envoltas em açúcar e canela) e as azevias de batata-doce.



                                                                                              
Na consoada Algarvia, o litão (peixe da familia da raia) substitui o bacalhau, não deixando , no entanto, de ter couves para acompanhamento. Há quem prefira galo guisado a esta iguaria. No dia 25, ao peru recheado seguem-se as azevias de gão e batata doce. Os algarvios estendem as festividades até 26 dia em que comem a cabidela do galo e as tradicionais papas de milho.





No arquipélago dos Açores, a consoada é preparada com bastante antecedêcia. O bolo de Natal, com frutos secos e mel, é feito no dia 1 de dezembro e encetado apenas a 24. Para a ceia há por hábito um prato de peixe - bacalhau ou polvo assado -, e um prato de carne, sendo este normalmente galinha assada. O dia de Natal é um dia muito especial para os açorianos que costumam partilhá-lo com os vizinhos. Depois do almoço em família em que se come polvo e alcatra, é altura de bater à porta do lado para beber um licor caseiro, a que chamam a "mijinha do Menino Jesus". Em companhia uns dos outros, brindam junto ao altar do menino, feito com flores de laranjeira.



Na ilha da Madeira, no dia 24, serve-se carne, previamente marinada em vinha d'alhos, em pão caseiro frito, com batata bolota assada e arroz branco de segurelha. No dia 25, há carne de vaca estufada, na panela, ou assada no forno, seguida de um delicioso pudim de maracujá.








Depois deste roteiro gastronómico, recrie a sua tradição e prepare uma consoada à sua medida.



P.S. Não colocamos mais fotografías para não ficarmos com água na boca!

21/12/16


 Informamos que o CLP/C em Cáceres estará encerrado de 22 de dezembro a 7 de janeiro,
 reabrindo a 9 de janeiro com o horário habitual: de segunda a quinta, das 9h30 às 13h, e  terças e quartas, das 16h às 20h.





20/12/16

"O Natal na Lusofonia"





Na próxima quarta-feira, dia 21 de dezembro, às 19h, no ILM de Cáceres, irá decorrer uma sessão sobre "O Natal na Lusofonia".
Esta sessão decorre no âmbito das atividades do estágio curricular do Grado en Lenguas y Literaturas Modernas, Portugués no CLP/C.
A participação é gratuita, mas agradecemos a inscrição prévia através do seguinte link goo.gl/k235nZ

A opinião dos usuários


O usuário Alejandro Sánchez Rebollo  leu o livro "Desamparo" de Inês Pedrosa 
e deixou-nos a sua opinião!


Obrigado, Alejandro!




Este livro é uma oportunidade única de conhecer ao mesmo tempo a cidade de Rio de Janeiro onde decorre a primeira parte do livro e as características das pequenas vilas do Algarve onde moram os protagonistas na parte final da história. Reflete muito bem a situação de alguns portugueses mas também espanhóis que com estudos têm de trabalhar noutros setores profissionais até conseguir o sonho de trabalhar no que realmente gostam.
Adorei este romance porque mostra a realidade da sociedade do século XX e ainda mais do século XXI onde as emigrações e imigrações são um elemento mais de cada família e onde o cuidado e a preocupação pelos pais quando estes têm uma idade mais avançada nem sempre são partilhados por todos os filhos.
Por outro lado, não podem faltar as histórias de amor dos protagonistas com as suas noites mágicas mas também com as suas dificuldades.

16/12/16

Segundas Jornadas de Português: "ECO", um prefixo com futuro.



Deixamos alguns momentos da segunda edição das Jornadas de Português, organizadas pelo
Departamento de Lenguas Modernas y Literaturas Comparadas - Área de Filologías Gallega y Portuguesa, pela Facultad de Empresa, Finanzas y Turismo e pelo Centro de Língua Portuguesa, Camões, IP na Universidade de Extremadura.


  









Estas jornadas promoveram o debate de um tema da atualidade: a ecologia, a sustentabilidade da sociedade atual e a procura de alternativas. Dirigidas em primeiro lugar a alunos da Facultad de Empresa, Finanzas y Turismo, as jornadas contaram com a presença de alunos e professores da Escuela Oficial de Idiomas (entidade que também colaborou nas primeiras jornadas, de 2014) e estiveram abertas a todos. 
 










Decorreram em três espaços distintos: a manhã do dia 13, no salón de actos da Facultad de Empresa, Finanzas y Turismo; a partir das 16h30, as jornadas continuaram no Museo Vostell-Malpartida com a apresentação de uma palestra sobre o museu e a interessante articulação arte/natureza, com a presença do artista e poeta Antonio Martín, e uma mesa redonda de profissionais de turismo, ócio e jornalismo ambiental; no dia 14, a partir das 18h00, no Instituto de Lenguas Modernas teve lugar a exibição do documentário “Que estranha forma de vida”, apresentado pelo seu realizador, o português Pedro Serra.

 
 








 
 


Estas jornadas contaram com as intervenções de vários especialistas, mas também com a intervenção de estudantes que desenvolveram trabalhos inovadores no âmbito da temática das jornadas.